Social Selling: aumente suas vendas esse recurso!

Para aumentar as vendas durante todo o ano, é essencial entender o que os clientes querem e explorar ao máximo os canais em que eles estão inseridos, incluindo as redes sociais. Por isso, o Social Selling é um ponto que não pode fazer na sua estratégia de Marketing Digital.

Para que você saiba o que significa esse termo e como aplicá-lo na sua empresa, nos acompanhe até o final deste artigo!

O que é Social Selling

Social Selling é o termo utilizado para vendas feitas a partir das redes sociais. Afinal, se hoje redes como o Facebook possui mais de 100 milhões de usuários em todo o Brasil, certamente o público interessado em comprar seus produtos também estão nelas.

Contudo o primeiro passo é ter uma estratégia de Marketing Digital para redes sociais bem estruturada, de modo a tirar o melhor proveito desses canais, pois cada rede possui suas particularidades. Enquanto o Instagram é uma rede mais imagética, o Twitter tem o engajamento como ponto forte, por exemplo.

Como o Social Selling se encaixa na estratégia

Quando falamos em Social Selling, o primeiro ponto a ser considerado é o seguinte: redes sociais não são canais de venda. Por mais que as pessoas comprem pelas redes, elas foram desenvolvidas para que os usuários interajam com outras pessoas, empresas e marcas. Logo, o ponto-chave para vender é justamente esse: interação.

Assim, sua empresa deve se relacionar bem com o público pelas redes, falar a mesma língua dele e trazer nas postagens assuntos que sejam do seu interesse. Para isso, você deve conhecer bem a sua persona.

A persona é um personagem semi-fictício que representa o seu público-alvo, ou seja, é o retrato do seu cliente ideal. Ao conhecer as dores e os desejos da sua persona, você terá insights para criar ações nas redes sociais que chamem a atenção da sua audiência, pois esse é o primeiro momento da jornada de compra.

Essa jornada também é representada por um funil de vendas composto por três etapas:

  • topo do funil: momento em que a pessoa descobre ter um problema. No caso das redes sociais, ela pode ter visto uma postagem sobre dicas de moda, por exemplo.

  • meio do funil: aqui começa a interação da pessoa com a empresa, que nas redes sociais pode ser feita via comentário ou mensagem para saber mais sobre as soluções de moda que você tem para oferecer.

  • fundo do funil: nesta última etapa, a pessoa está pronta para comprar a sua solução. Se o contato tiver sido feito pela rede social, ela compra lá mesmo.

A maioria das publicações devem ser de topo e meio de funil, ou seja, trazer informações que sejam úteis ao seu público, além de promover a interação. Postagens de fundo de funil, ou seja, que falam sobre os seus produtos, também devem estar presentes, desde que siga o método 80/20, isto é, 80% do conteúdo deve ser informativo e 20% de venda.

Como colocar o Social Selling na prática?

Monitorar o que acontece nas redes é o principal fundamento do Social Selling. Afinal, um pedido de compra pode chegar por meio de um comentário no Twitter ou um direct do Instagram.

E essa atenção não deve ser voltada somente às pessoas que dizem “quero comprar”, mas também àquelas que têm potencial para consumir. Por exemplo: se você posta uma publicação sobre o seu produto no Facebook e alguém marca um amigo, este pode se tornar um consumidor.

Algumas ferramentas podem auxiliar você a fazer esse monitoramento de social media. Destacamos aqui as principais:

  • Hootsuite: além de permitir programar postagens em diversas redes sociais, ele também mostra tudo o que acontece nelas de maneira que você pode ter um overview completo no dashboard.

  • TweetDeck: ferramenta para o Twitter, voltada para monitoramento em tempo real, organização e engajamento.

  • Iconosquare: faz uma análise das métricas e engajamento do Instagram e do Facebook.

Essa análise das suas redes sociais permite que você saiba mais sobre o perfil dos seus clientes, o que é essencial para a venda. Afinal, eles não estão interessados em saber o quão maravilhoso o seu produto é, e sim o quão eficaz é para solucionar os problemas que eles têm.

Quais são as vantagens do Social Selling?

Para que você veja com mais clareza o porquê de adotar o Social Selling à sua estratégia de Marketing Digital, reunimos aqui três de seus principais benefícios. Acompanhe!

1. Construir relações reais

Alguma vez você já fez contato com alguma empresa e sentiu falta de zelo no atendimento? Que a única relação que a empresa queria ter com você era a comercial e ponto final? Pois, acredite, da mesma forma que isso acontece com você, também acontece com o seu público.

Por isso, aproveite as redes sociais para construir relações reais com a sua audiência. Como dito, o foco das redes não é a venda, e sim o relacionamento. Ao se relacionar bem com as pessoas, elas ficarão mais motivadas a comprar de você.

2. Estar um passo à frente da concorrência

Imaginemos que o seu cliente esteja em dúvida entre comprar de você e de seu concorrente direto. Levando em conta que os produtos e benefícios do mesmo sejam similares, somente um ponto poderá ser o decisivo na hora da compra: a maneira como as empresas interagem com o cliente. Se ele já a acompanhava nas redes sociais, este será o principal diferencial no momento da compra.

Porém lembre-se de que seus concorrentes também podem estar presentes nas redes sociais. Por isso, trate de acompanhar as ações deles por lá para que as suas tenham um diferencial que chame mais a atenção da sua audiência.

3. Aumento das vendas

Por fim, a consequência de tudo isso é a venda. Vale um acompanhamento de todas as compras que sejam feitas via Social Selling para determinar o retorno do investimento desse tipo de ação.

Lembre-se: por mais que o Social Selling possa prospectar novos clientes, é igualmente importante fidelizá-los. Para que você saiba o jeito certo, confira também esse artigo sobre como fidelizar clientes de maneira eficiente!



Deixe uma resposta

cinco × quatro =